Os morangos desta vida

morangos

Vamos fingir que acordámos hoje num país diferente. Com o mesmo sol e as mesmas praias, não me entendam mal, mas cheio de fábricas que exportem até não poder mais, e com os campos cultivados de norte a sul. Hoje, tudo era diferente. Vivíamos realizados, pessoal e profissionalmente falando, a plantar tomate ou morangos, a produzir com as nossas próprias mãos. Porque, ao contrário do que diz o antigo banqueiro João Salgueiro, ontem, em entrevista ao Diário Económico, os portugueses sabem e até gostam de usar as mãos, as duas. Há muito que trabalhar num balcão de um banco deixou de ser o emprego de sonho da classe média. Neste nosso país, as empresas cresciam, os empresários eram competentes, sabiam o que faziam, tinham estratégia, visão e antecipavam os problemas. E pagavam aos trabalhadores na justa medida do seu valor. Nem mais, nem menos. E estes acordavam todas as manhãs com uma vontade imensa de apanhar morangos de sol a sol. Ahhh, desculpem! Não é possível. A perspetiva que existe é a de mais um corte de salários. Queres morangos?!…

Advertisements

2 Comments on “Os morangos desta vida

  1. O pior é que acordamos…
    Que bom que era, Sílvia, podermos acordar nesse país. Eu, que gosto de trabalhar com as mãos, de as por na massa, já só ambiciono um dia acordar neste país, a apanhar os meus morangos. E por isso vou lutar, até morrer.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: