Ainda o Natal

O Natal passou-se muito bem, com muito amor, que é o que importa, com muitas gargalhadas, que fazem tão bem, e muita comida, o que sabe tão bem, mas traz o problema de não saber como vou caber no vestido da passagem do ano. Precisava de uma receita para perder três quilos em cinco dias, sem ter que fechar a boca, porque o rastro de consoada lá por casa é inexplicável.

Mais estes dois dias e começo a comemorar o final de um ano maravilhoso. 2013 ficará na minha história como um dos melhores anos da minha vida e a verdade é que o que peço para o próximo não é mais do que o que tive neste. Pode ser só igual que já é muuuuuito bom!

Aqui fica o peru de Natal, uma estreia absoluta, inspirada na receita da Joana Roque, que não sabe, mas tornou-se no meu livro de receitas ambulante.

Peru

Advertisements

Pré-Natal

Como nas viagens e nas festas, o melhor do Natal é desejar, antecipar e preparar.
Este nosso Natal será diferente, será por cá, em família, e confesso que já só falo de perú, vou ser eu a fazê-lo, já pesquisei 1001 receitas, vi 543 vídeos. E sonhos e rabanadas também serão comigo. Vou experimentar a receita da querida Margarida.

E é assim, prazeres!

Bolo

[Best ever carrot cake, do Jamie Oliver Confere, bom que se farta, e fala uma especialista doida por Bolo de Cenoura. Mas cortem no açucar, que esta receita fica muuuuito doce]

Querido Pai Natal…

… eu sou daquelas, difíceis, que quando lhe perguntam o que gostariam de ter no sapatinho, nunca se lembram de nada, porque nunca se lembram no momento certo do que gostariam, ou então porque não precisam mesmo de nada, ou ainda porque a verdade é que ficam sem jeito de explicar que não desprezam os presentes com GPS, do género “olha vais ali e compras isto”, mas quase. Eu sou mesmo é das que podem ficar de lágrimas nos olhos com a coisa mais insignificante do mundo, desde que tenha sido escolhida para mim, especial e só para mim. Eu, afinal, gosto é de surpresas, porque quem nunca se esquece que eu detesto café, também sabe o que me faz feliz.

Casa1

Foto daqui

Desilusão atrás de desilusão

Eu quis acreditar!

O post publicado no Twitter tinha tudo para ser viral, o que acabou por acontecer. Uma carta escrita ao Pai Natal, supostamente por uma criança, na qual incluía o link da Amazon do presente que pretendia. A desilusão é que agora foi descoberto que foi escrita por um comediante.

CartaPai Natal

O nosso Natal

Na minha vida inteira, a árvore sempre foi feita a 8 de dezembro e desmontada a 6 de janeiro [claro, que sempre fiz – isso, quando fiz – a árvore mais tarde e houve um ano em que só a desfiz quase no verão…]. Por isso, não me pressionem, não estou atrasada!
Este fim de semana é o fim de semana!

Nos últimos dois anos, eu e a Clara pisgámo-nos para Londres e Amesterdão. Das duas vezes, aterrámos em Lisboa em plena noite de consoada, mesmo a tempo de ir para a cama. Uma forma genial de lhe dar um Natal feliz e fugir à depressão de quem não tem uma família gigante e feliz com quem celebrar estas festas.

A verdade é que foram dois natais geniais. Tenho a certeza que a Clara jamais esquecerá as luzes de Oxford Street, que víamos da janela do nosso quarto, o frio de rachar, as Ben’s Cookies, ou as tardes de patinagem na praça mais cool de Amesterdão (não consigo reproduzir o nome…).

NatalAmesterdão

Aliás, este ano vamos ficar por cá e ela já começou a reclamar. Pudera!
Mas a verdade é que a família cresceu e recomenda-se, e que já há muitos anos que não me lembro de um Natal feliz assim. Talvez quando era pequenina e ainda acreditava no Pai Natal

Se eu tivesse tempo se eu fosse uma pessoa dada às decorações de Natal, apostava nestas coisas:

Natal1

Natal4

Natal2

Natal3

Fotos daqui

Carta ao Pai Natal

Há coisas em que eu quero acreditar. Deixem-me sonhar, não quero saber se foi a Amazon a forjar a coisa, nem nada disso, OK?! Adoro esta carta ao Pai Natal, adoro crianças para aí até aos 3 anos, vá… So 2013, it hurts ❤
Já agora, o link leva-nos a um carro de controlo remoto, que custa 20 dólares.

CartaPai Natal

Há Festa no Palácio

No próximo fim-de-semana, há festa no lindo Palácio Foz (Restauradores), uma boa oportunidade para o início das compras de Natal.

A RSA – Responsabilidade Social entre Amigos organiza, pelo quarto ano, o Há Festa no Palácio, cujas receitas reverterão para instituições de apoio social. No ano passado, foram arrecadados €14.104, que foram utilizados para apoiar a Ajuda de Mãe, o Centro Jovem Tabor, a Fundação LVIDA e o CPJ – Centro de Promoção Juvenil/Casa da Estrela.

Pode contar com exposição e venda de peças de autor, nas mais diversas áreas – artesanato, decoração, joalharia, fotografia, pintura, retrato e cerâmica -, palavras escritas e ditas, tombola de rifas, bebidas, espaço de gastronomia e animação musical.

RSA2

RSA1

O Natal dos banqueiros

Lisboa - Contas BES
[Fotografia de Gustavo Bom/Global Imagens]

Ricardo Salgado, presidente do Banco Espírito Santo (BES), acaba de proferir esta bela merda de frase: “Os banqueiros vão passar um Natal complicado”.

Não sou das que vociferam, por tudo e por nada, contra os banqueiros, entendo a vida das empresas, a sua legítima procura pelo lucro, até porque, no final, os trabalhadores agradecem, mas há limites para a ridicularia. Nenhum banqueiro pode dizer que vai ter um Natal difícil, mesmo em sentido figurado. As pessoas, assim, nunca vão entender, pior, vão gozar e afastar-se, cada vez mais, dos empresários, banqueiros e governantes.

Pronto, era só isto, queria mostrar a minha indignação pelas cenas infelizes que vão sendo ditas, à mesma hora que, como contava a Catarina, 10 pessoas vasculhavam no lixo do Pingo Doce da Ferreira Borges…

Tenham só um pouco mais de bom senso, pensem antes de abrir a boca, por favor!